TRANS PASSARÃO, MACHO PASSARINHO

TRANS PASSARÃO, MACHO PASSARINHO

PERSONAGENS
Goto/Gogo
Bela/Belo

CENA 1

(no escuro ouvimos uma gritaria de um espancamento)

GOTO
Bicha! Bicha! Honre o pau, filho da puta! Honre o pau!

BELA
Para! Para, pelo amor de deus! Ai! Ai!

(silêncio; um foco apresenta Bela caída ensanguentada e Goto em pé com um pedaço de pau)

GOTO
Honre o pau, filho da puta.

(Goto tira um canivete do bolso, levanta o vestido de Bela e corta o pênis dela fora; ele joga o resto de carne ensanguentado para fora de cena)

GOTO
Feito. Tá feito.

(black-out)


CENA 2

(um foco destaca Bela, ainda ensanguentada, viva e tranquila; ela acende um cigarro e conversa com a plateia)

BELA
Deixe eu respirar um pouco, só um minutinho. (pausa) Nasci Maurício. Nasci Renato. Nasci João. Pedro, Paulo, Luís, José. (pausa) Sabem um pau? Pau. Pinto. Pênis. Cacete. Eu tinha um. Mulher também tem pênis. Sabiam disso? Tem sim. O grelo é tipo um pênis. É um pintinho. Enrijece também, quando elas ficam excitadas. (pausa) Eu gostava de assistir a Angélica. Da Xuxa eu não gostava muito, eu gostava mesmo era da Angélica. Dançava junto, gostava das roupas, do jeito dela. (pausa) Eu até gostava de jogar bola na rua, brincar de futebol com os meninos, eu gostava de fazer coisas “normais”, eu lembro. Eu cheguei a beijar algumas meninas, de brincadeira. Mas talvez eu tenha tido uma fase meio lésbica e só. Desde sempre eu sabia que não era pra isso que eu vim parar nesse mundo. Falaram que era pomba gira, que era o capeta, que tinha jeito, que era só eu ter vergonha na cara e parar de desmunhecar um pouco. E isso eu cheguei a ouvir até mesmo de rapazes gays, dos amigos viados! Quando eu tinha uns treze anos eu já tinha aceitado tudo isso, já tinha dado meu primeiro beijo na boca de um menino e já tinha brincado com um primo meu algumas vezes. Aí fiz umas amizades, gays lógico, e esses mesmos amigos foram os que me mandaram ser macho, no fim das contas. Que eu podia ser gay, mas que não precisava ser bicha. Minha família eu já tinha desistido, quando eu comecei a sair com lápis no olho meu pai me deu um chute nas minhas costas e depois nunca mais falou nada. Se calou sobre o assunto e a gente convive com “bom dia, oi, boa noite”. Minha mãe só rezava, coitada. Ainda reza, mas ela é boa. Eu entendo como deve ser difícil pra eles. Um homenzarrão desse tamanho, de costas largas como eu, se vestindo de mocinha delicada, ficando de quatro pra macho. Eu consigo entender o medo que eles tinham. Mas eu só segui o conselho que a minha mãe mesmo tinha me dado quando eu era moleque: “Filho, a vida é assim. É que nem passarinho. Eu botei o ovo, te alimentei, agora eu te jogo do ninho pra você voar. E seja o que deus quiser.” (pausa) Eu vesti o meu vestidão, passei a minha maquiagenzona, coloquei meu salto quinze, e me transformei num passarão, mamãe! Eu tô feia agora porque eu tô moída, a gente morre nessa vida, todo mundo morre. A gente morre de decepção, a gente morre pela não aceitação, a gente morre na mão de amores impossíveis. A gente morre. Passarinho nasce, come, caga, voa, trepa e morre. (pausa) E tudo tem algum motivo.

(black-out; em vídeo vemos imagens de um bebê no colo da mãe, mesclando com imagens reais de violência por homofobia; vemos também vídeos de manifestações religiosas contra o movimento LGBTT)

(black-out)

CENA 3

(um foco destaca Goto)

GOTO
(grita) BU-CE-TAAAA! Macho, macheza, muito macho. Macho por cima, macho por baixo. Meter rola. Munheca dura. Munheca rígida. Pau estralando. Pânico na TV. Macho. Barba. Porco. Cuspe. Coçada. Cheirada. Nada de choro. Nada de cabelo. Nada daqui de dentro. Tudo daqui de baixo. Da cabeça. Da ponta da cabeça. Comedor, catador, galinhão, fodão, garanhão, gostosão, pauzudo, sacudo, peludo. (pausa) Mulher? De joelho. No chão. De costas. Quieta. Inocente. Quieta. Santa, limpa, cheirosa. Quieta. Sem muita opinião. Em contrapartida ter uma bunda que valha a pena. E quieta. Uma bunda quieta. Que rebole em cima, que rebole em baixo. A diferença é animal. Homem serve o pau, mulher serve pra servir. Se estamos por cima na cadeia alimentar é porque tem mais músculo pendurado aqui. Mais músculo, mais força. Quanto maior o pau, maior o poder.

(Bela entra gargalhando)

BELA
Desculpe. Desculpe interromper o seu bife. Mas eu não podia deixar passar essa. (pausa) Um vídeo divulgado pode acabar com a moral de qualquer um. Obviamente a bicha e a mulher saem mais fodidas literalmente da situação. O cara sempre sai como o garanhão, o comedor. Mulher chupa rola é horrível, “Boqueteira! Vagabunda!”. Homem chupa grelo, “Nossa, safadão, bonitão.” (pausa) Liga o retroprojetor, por favor.

(vemos uma foto de um pau pequeno)

BELA
Ao menos que seu músculo não seja tudo aquilo que você costuma espalhar por aí. Macho passarinho. (gargalha)

GOTO
Desliga essa bosta! Não sou eu, esse cara! Nem dá pra ver a minha cara! Prove! Prove que sou! Quantas vezes eu vou ter que repetir isso.

BELA
Não estou aqui pra arranjar intriga. Foi aquela sua ex quem postou essa foto, viu. E ela pode confirmar.

GOTO
É melhor um pequeno brincalhão do que um grande bundão. Tamanho não é documento!

BELA
Então você confirma!

GOTO
Não interessa! Isso é preconceito também! Qual é o problema?

BELA
Não tem problema nenhum. Eu até gosto de um pequenino.

GOTO
Sai fora, seu filho da puta! Eu sou macho! Eu já falei!

BELA
Mas o tamanho do músculo não demonstra o tamanho do poder? Eu posso garantir que eu sou dez vezes mais macho que você.

(silêncio)

GOTO
Eu tava dizendo na situação com a mulher. Mulher não tem pau, por isso homem manda mais.

BELA
Mulher tem pau sim. O grelo é um tipo de pau...

GOTO
Ai, cara, não viaja!

BELA
Seu machismo bate na minha maquiagem e volta na humilhação desse seu clitóris que você tem.

GOTO
Cale essa boca! Cale essa boca!

(silêncio)

BELA
Uh, a bicha ficou irritada.

GOTO
Depois que a gente mata um filho da puta desses, o povo vem falar que é homofobia. Dá licença.

(Goto sai)

BELA
É homofobia sim, queridinha! Você não suporta saber que eu tenho mais músculo que você, mais poder, segundo seu ponto de vista, e que eu decidi desmunhecar e ser mulher ao invés de ser machão. Ser fêmea! Ser sensível e não me importar com a porra dessa imagem que você quer passar. O machismo, o machão, é uma máscara politizada! É tão mais frescura do que isso daqui.

(um vídeo mostra Bela, vestida como homem, enforcada)

BELA
O que é isso?

GOTO
É você, queridinha. (ele entra) Você se matou. Você não suportou o tranco.

BELA
Todo mundo aqui viu que foi você quem me matou.

GOTO
Antes mesmo de você conseguir se assumir, postaram um vídeo de você dando pra um cara. Lembra? Você namorava aquela menina na época. Disfarçava com ela. Um vídeo divulgado pode acabar com a moral de qualquer um, principalmente se você é o cara que dá o cu.

BELA
Você tá viajando. Esse não sou eu.

(silêncio; os dois observam Bela enforcada, balançando, em silêncio)

GOTO
Deve ser duro ter que dar o cu e ainda se foder.

BELA
É duro mesmo. O machão saiu ileso. E eu fiquei como putinha.

GOTO
O lugar da mulher é sempre por baixo, mesmo quando por cima. Por baixo, bonita.

BELA
Meu pai viu aquele vídeo. Me deu um chute nas costas.

GOTO
E aí o covarde foi lá, pegou uma corda, enrolou no pescoço e fim da vida de viado.

BELA
Fim da vida de viado. Aquele foi um dia difícil. É duro aguentar o julgamento das pessoas, da hipocrisia dessas pessoas. Todo mundo gosta de trepar.

GOTO
Mas você tinha namorada, não tinha?

BELA
Eu estava numa fase meio lésbica.

GOTO
Oras, não venha com essa!

BELA
Eu tentava me esconder! Eu tentava me esconder de gente como você! Eu queria transar com todos os caras que eu via pela frente, eu queria continuar brincando às escondidas com o meu primo, mas essa porra dessa cidade de merda queria que eu ficasse com ela! “Você tem que comer menininhas, seu cabaço, filho da puta!” (pausa) Eu fui fraco. Em muitas horas da vida, a gente é gente fraca. E as pessoas morrem.

(silêncio; em vídeo vemos um cartaz com os dizeres: “Orgulho de ser Hétero”)

BELA
É tão difícil assim se manter hétero? Foda, hein. Que orgulho de merda.

GOTO
Cuide da sua luta, que eu cuido da minha.

BELA
Isso não é luta, idiota! Que luta é essa se você não sofre nada por ser do jeito que é? Quantas vezes eu já morri aqui e quantas vezes você já morreu?

GOTO
Ah, então você tá querendo dizer que morrer é uma coisa que só viado faz? Só viado é assassinado, então?

BELA
Você tá de sacanagem. Você não tá falando isso.

GOTO
Eu também sofro preconceito porque eu tenho o pau peque...

(silêncio)

BELA
Por que tem o que?

GOTO
Porque meu pau não é grande. Eu sofro preconceito também. Eu podia ter me enforcado, eu podia ter me matado quando aquela filha da puta espalhou aquela foto, mas eu sou bem mais macho que você, porque eu resisti bravamente.

BELA
Faz me rir. Tadinho do machão desavantajado. Tadinho dele. Você teve sorte de poder ter a desculpa de ser um boato porque a sua cara não aparece na foto.

GOTO
Agora você já aparecia bem gostando dando a bunda, né? A carinha. “Vai, vai! Mete, mete com força!” (ri)

BELA
Você é um idiota.

GOTO
E você é uma bicha covarde! Orgulho de ser hétero sim! Se você pode ter o seu direito de ter orgulho de ser viado, eu posso ter o meu direito de ter orgulho de nunca ter dado o cu!

BELA
Nossa, eu não sabia que era uma provação se segurar pra não dar, a ponto de ter orgulho.

GOTO
Cale essa boca!

BELA
Dizem que héteros de verdade não se importam com a condição sexual dos outros homens. Quem se importa, tem algo a esconder.

GOTO
Cale a boca! Você não sabe de nada!

BELA
É uma pesquisa isso! Uma pesquisa científica. Uns especialistas da Universidade da Georgia, nos Estados Unidos, perguntaram a homens que se diziam heterossexuais o quão confortáveis eles se sentiam ao redor de homens gays, no convívio com homens homossexuais. Com base nesses resultados, dividiram os voluntários em dois grupos: os que exibiam algum sinal de repulsa, de homofobia, e os que se sentiam tranquilos com os gays na sociedade. Aí começou o teste. Todos os homens foram colocados em salinhas privativas para assistir a vídeos pornôs, de quatro minutos mais ou menos cada: um mostrava cenas de sexo entre um homem e uma mulher; outro, entre duas mulheres; e o último, entre dois homens. Enquanto a sessão se desenrolava, vai e tal, um aparelho, ligado ao pênis de cada participante, media o nível de excitação sexual de cada um. A engenhoca, segundo os cientistas, era capaz de identificar a excitação sexual sem confundi-la com outros tipos de excitação, como nervosismo ou medo. Eis os resultados: enquanto assistiam aos vídeos de sexo heterossexual ou lésbico, tanto o grupo com traços homofóbicos quanto os não homofóbicos tiveram “aumento da circunferência do pênis”. Em outras palavras, gostaram do que viram, se excitaram. Mas durante o filminho de dois homens se comendo “apenas o grupo homofóbico exibiu sinais de excitação sexual“. Pois é, no começo da pesquisa, esses até disseram que preferiam manter distância dos gays, dessas bichas, restos de aborto da sociedade. Mas, opa, você pode enganar a sua mãe, o seu pai, a sua namorada, mas um caralho não se confunde jamais.

(silêncio)

GOTO
Isso tudo é muito relativo.

BELA
Quer fazer o teste?

GOTO
Oi?

(Bela sai de cena e volta com uma engenhoca com alguns fios)

BELA
Eu tive o trabalho de pedir um protótipo dessa máquina com uns amigos que moram nos Estados Unidos. Podemos tirar a prova a limpo.

GOTO
Eu não preciso provar nada pra ninguém.

BELA
Ué, queridinho. Tá com medo do que pode dar esse resultado? Ninguém aqui vai julgar você se acaso você se descobrir gay.

GOTO
Eu sou bem hétero, tá bom? Eu gosto de vagina! Eu gosto de buceta.

BELA
Vamos fazer o teste, então.

(silêncio)

BELA
Não precisa ficar com medo, bonitão. Se você tem certeza da sua sexualidade, não tem porque temer.

GOTO
Como vai ser?

BELA
Eu vou colocar esses elétrodos no seu pau, aí...

GOTO
Não, ninguém vai mexer no meu pau aqui, não!

BELA
Você põe! Não tem problema! É só colocar esse no corpo e esse na cabeça. Tó.

(de costas para a plateia, Goto se senta e arruma os fios dentro da calça)

GOTO
Olha, acho melhor a gente esquecer essa porcaria...

BELA
Mas não tenha medo, queridão! Você tá com medo de quê? Você acha que o resultado possa ser perturbador?

GOTO
Lógico que não! Mas e se isso tem algum erro? E se essa máquina funciona meia boca? Vocês vão ficar me julgando depois! Vão ficar falando que eu sou viado e eu não sou!

BELA
Relaxa. Ninguém vai tirar sarro de ninguém aqui. Fica tranquilo. Vai dar tudo certo. Apaga as luzes pra mim, querido!

(a luz cai em resistência)

BELA
Pode ligar o vídeo.

(vemos um vídeo pornô heterossexual; a máquina pisca algumas vezes)

BELA
De sexo heterossexual vemos que você gosta mesmo. A máquina tá dizendo que você tá gostando do que tá vendo.

GOTO
Lógico que eu tô gostando. Puta mina gostosa.

BELA
Muda!

(vemos um vídeo de duas mulheres; a máquina pisca com menos velocidade)

BELA
Hum. Interessante. Você gosta, mas nem tanto.

GOTO
Eu ia gostar se eu tivesse ali no meio.

BELA
Sei. Muda!

(suspense; um vídeo discreto com dois homens se beijando; antes de a máquina começar a piscar freneticamente, Goto desiste da experiência)

GOTO
Desliga essa bosta! Puta coisa nojenta, isso! Fala sério! Eu não sou obrigado a ter que ver esse tipo de coisa, meu. Dois marmanjos desse tamanho, com aquele tamanho de braço, marombado de academia, se pegando com outro barbado. Ah, fala sério! Esse mundo tá perdido mesmo! Isso daí é falta de vergonha na cara! Eu não tenho que ficar aqui provando nada pra ninguém, mas que eu não sou obrigado a ter que ver esse tipo de nojeira, eu não sou! Dá licença que eu tenho mais coisa pra fazer!

(Goto sai; silêncio)

BELA
Então.

(black-out)



CENA 4

(uma música sexy introduz Gogo como um GogoBoy; ele dança e rebola na cara de algum espectador)

GOGO
I’m sexy and I know it.

(Belo entra cantando; ele está vestido com um terno)

BELO
“Senhor, abre os meu olhos preciso ver
A realidade de quem eu sou
Criado em Ti, a tua semelhança

Senhor, o meu passado teu sangue apagou
Uma nova vida me entregou
O teu poder, transforma meu ser
De glória em glória!

Eu nasci de novo, nasci de novo
Em Ti, sou mais que vencedor”

GOGO
“Contigo eu fui crucificado
Morreu meu velho homem
Escravo, do pecado
E agora eu sou livre em Ti
Não mais eu, mas Cristo vive em mim”

BELO
"Não se deite com um homem como quem se deita com uma mulher; é repugnante.” Levítico 18:22. "Se um homem se deitar com outro homem como quem se deita com uma mulher, ambos praticaram um ato repugnante. Terão que ser executados, pois merecem a morte.” Levítico 20:13.

GOGO
Acho que esse tal de Levítico tinha culpa no cartório, hein. Quem diz isso é uma pesquisa científica, não sou eu.

BELO
Herege! Deus ouve e vê tudo! Ele sabe do coração de cada um. Ele ama o pecador, mas repudia o pecado.

GOGO
Eu só sou dançarino de boate, queridão.

BELO
Viado! Deus sabe e percebe tudo! Não adianta tentar se esconder! Se ele fez homem e mulher é pra ser homem e mulher. Se não, teria sido Adão e Ivo.

GOGO
Olha, e o cara ainda é piadista!

BELO
Satânico ateu macumbeiro dos infernos! Não se tira sarro do povo de deus sem sair impune, meu caro. Não se brinca com o que é sagrado!

GOGO
O que é sagrado pra você, pra mim eu enfio no cu e cheiro.

BELO
Essas bichas querem pedir respeito, se portando desse jeito. Vocês querem fazer a porcaria que quiser, façam! Mas não me obrigue a ter que aceitar, a ter que deixar meus filhos ver uma sacanagem, uma pouca vergonha dessas na rua!

GOGO
O carnaval heterossexual tá na rua pra todo mundo ver. E desde muito tempo!

BELO
Homem e mulher, meu caro! São casos completamente diferentes. É a festa da carne. E de qualquer forma a nossa igreja também repudia esse tipo de coisa, mas nem se compara o tamanho da nojeira.

GOGO
E por que não se compara?

BELO
Porque não.

GOGO
Por que não?

BELO
Porque não e porque não!

GOGO
Hipocrisia de merda! O senhor, queridão, já foi casado três vezes que eu sei. Hipócrita do caralho!

BELO
Com mulheres, sim confesso! Tive três casamentos mesmo.

GOGO
E qual a diferença da sodomia?

BELO
A diferença é que meu órgão excretor está intacto! Deus pisou na serpente e apagou o meu passado de pecados! Ainda dá tempo de você se redimir também, meu irmão.

GOGO
Me redimir do que? Eu sou o que eu sou.

BELO
Não, você nasceu homem. Você aceitou essa condição de pecador.

GOGO
Mas eu sou homem ainda. E mesmo embaixo de outro homem.

BELO
Que pouca vergonha. E depois ainda querem exigir respeito.

GOGO
Seu deus não é o mesmo que o meu. Eu não tenho culpa nenhuma dentro de mim.

BELO
Só existe um deus, meu caro. Só existe um deus.

GOGO
E como você tem tanta certeza que o seu é o certo?

BELO
Tá na Bíblia. Pra quem quiser ver.

GOGO
Fala sério. Esse tal de Levítico tava escondendo algum sentimento dentro dele. Jesus nunca disse nada sobre isso. Amai ao próximo e à deus e nada mais.

BELO
Jesus apoiava a Bíblia.

GOGO
O que? Cale essa boca! Para de falar asneira!

BELO
Agora vem com grosserias ainda. É assim que os ateus agem, meus amigos. Os satânicos não querem saber da verdade. Não adianta discutir com essa gentinha.

GOGO
Eu nem sou ateu! Eu acredito em deus!

BELO
Do diabo! Espírita dos infernos!

GOGO
Eu não sou espírita também! Eu tenho meu próprio deus!

BELO
Do diabo! Macumbeiro pagão!

GOGO
Cale essa boca!

BELO
Ainda dá tempo de você aceitar Jesus.

GOGO
Para de ser idiota!

BELO
Vire homem! Você tem que honrar esse pau!

(Gogo dá um murro na cara de Belo, que cai desconcertado)

GOGO
Você pediu. Desculpe, pessoal. Eu não sou obrigado a ter a paciência de Jó.

(Gogo sai)

BELO
Tá vendo, meus irmãos? A perseguição é real. A gente sofre preconceito quando a gente assume ser cristão. A Cristofobia é uma realidade do século vinte e um.

(black-out)


CENA 5

(um foco destaca Gogo se maquiando, já transvestido e com uma peruca)

GOGO
Dizem que eu não posso ser uma mulher barbada. Que eu tenho que ter pele lisa. Que eu não posso ter pelo no sovaco. Que eu não posso falar palavrão e que eu tenho que ser delicada. Que pra ser mulher eu tenho que ter nascido com vagina. Que pra ser sensível eu tenho que ser taxada como desmunhecada, fraca, quieta, submissa. Dizem que eu não posso ser diferente do que me mandaram ser. Quem mandou? Isso eu não sei. Isso ninguém sabe dizer. Dizem que foi por falta de surra, por falta de pai. Eu tomei um chute nas costas quando eu assumi pra minha família. Me botaram pra fora de casa e o caralho a quatro. Me mataram uma vez, me bateram com uma lâmpada fluorescente em plena luz do dia na Avenida Paulista. Eu me matei algumas vezes também, por não aguentar o peso de ser visto como passivo chupador de rola. Me mataram porque eu quis fazer um papel feminino em cena. Porque eu beijei a boca de um cara. Me mataram e ainda matam todo dia, dia após dia, com senadores defendendo isso, com pais de famílias espancando e humilhando seus filhos com seus améns desesperados! Eu não posso ser barbudo e passar batom? Eu posso ser a porra que eu quiser nessa merda.

(Bela entra, transvestida)

BELA
Numa peça com dois atores homens, tudo o que a gente menos espera é que vá rolar um beijo lésbico.

GOGO
Foda-se esse caralho.

(as duas se beijam romanticamente)

BELA
Obrigada.

GOGO
Obrigada eu.

(black-out)


CENA 6

(os dois atores estão neutros, tirando a maquiagem cada um em um foco; eles se ajeitam para finalizar o espetáculo como um diálogo com a plateia)

GOGO
Enfim.

BELO
Enfim.

GOGO
“Mimimi, pode ser gay, mas não precisa ser bicha.”

BELO
“Mimimi, pode ser gay, mas o passivo é mais gay.”

GOGO
“Mimimi, pode ser sapatão, mas não precisa se vestir que nem homem.”

BELO
“Mimimi, macho, machão, galinhão, garanhão.”

GOGO
“Puta, biscate, viadinho, vagabunda.”

BELO
Seu preconceito bate na minha cara de preocupado e volta para você com carinho e purpurina.

GOGO
Eu não posso respeitar a opinião de quem me oprime, me desculpe. Eu não sou obrigado a ter a paciência de Jó. Você não tem o direito de ter uma posição contrária à vida particular de ninguém.

BELO
“Mimimi, respeite a minha opinião. Eu tenho o direito de não querer aceitar essas bichas perto de mim!”

GOGO
Você tem o direito meu cu. Uma ova! Você nasceu nesse mundo quadrado, e não tem o porquê você se incomodar com a existência de uma baleia, por exemplo.

BELO
As coisas que existem, existem porque são naturais. Nada é antinatural se existe.

GOGO
E pior ainda é ver os viados, amigos gays, cuspindo o mesmo discurso dos homofóbicos.

BELO
Não, pior que isso não existe. Bicha homofóbica é uó.

GOGO
Existe, acredite, existe.

BELO
Estamos num mundo onde os valores morais estão perdidos. Tem deputado que preferiria ter filho ladrão do que filho viado.

GOGO
“Eu prefiro que meu filho exploda o carro num acidente, que enfie o carro embaixo de um caminhão, do que venha falar pra mim que decidiu virar gay.”

BELO
“Isso é falta de surra! Homem que é homem nem lava louça!”

(eles se olham de saco cheio)

GOGO
Pode ser afeminado sim!

BELO
Pode ser barbado e passar batom sim!

GOGO
Pode ser mulher e ter pelo no sovaco!

BELO
Pode ser uma planta, pode ser o que quiser!

GOGO
Pode ser romântico e pode ser piegas!

BELO
Pode ser qualquer coisa!

GOGO
Qualquer coisa!

BELO
Deve respeito porque respira.

GOGO
Deve respeito porque respira.

OS DOIS
Deve respeito porque respira.

(black-out)


FIM



Nenhum comentário:

Postar um comentário